29/09/2012

Tarta de Natas e um aniversário

Parece que foi ontem que decidi começar a escrever um blog. Queria ocupar algum do tempo livre que tinha a fazer algo de construtivo, e pensei que nada melhor do que juntar o útil ao agradável, vou criar um blog de cozinha onde possa descrever as minhas receitas preferidas e partilhá-las com quem quiser aprender e assim também poder passar as minhas receitas a familiares e às próximas gerações. Como tudo, o meu blog foi crescendo...mas muito, muito devagarinho. No entanto, fui aprendendo com outros sites, blogs, bloggers e livros, novas técnicas, receitas e ingredientes que nunca tinha ouvido falar e felizmente que ainda continuo a aprender, pois o mundo da gastronomia tem tanta coisa por descobrir e inventar. Mas queria agradecer a todos que por aqui passam e que de uma forma ou de outra contribuem também para este blog, seja pelas mensagens carinhosas e de incentivo que aqui deixam, seja pelos números que consigo ver de visitantes a todos o meu MUITO OBRIGADO por me permitirem chegar ao meu 3º aniversário neste universo, apesar de que no último ano e meio de existência do blog, as publicações se contarem pelos dedos das mãos. A vida leva a que por vezes tenhamos de fazer escolhas e o tempo que temos tem de ser bem gerido e pesado, por forma a canalizá-lo da melhor forma e não tem sido muito canalizada aqui para estes lados.

E hoje trago um clássico que habita por muitas festas de aniversário, em quase todos os restaurantes e que em alguns lares também dá um ar da sua graça no Natal. Isto porque uma amiga minha já me tinha pedido a receita à uma eternidade e eu quis satisfazer-lhe o pedido, pode ser que também passe a habitar na sua mesa de doces no Natal.

Ingredientes:

- 7 bolachas Maria
- 2 claras de ovo (opcional)
- 600 ml de natas gordas (mínimo de 35% de gordura)
- 200 gr. de leite condensado (metade de uma lata de tamanho normal)
- 3 folhas de gelatina
- 6 colheres de sopa de água


Modo de preparação tradicional:

1º Passo: Triture as bolachas com a ajuda de uma varinha mágica (ou outro utensílio) até ficarem em pó. Reserve. Batas as claras em castelo e reserve.

2º Passo: Batas as natas até ficaram bem firmes, adicione o leite condensado aos poucos e sem parar de bater a mistura.

3º Passo: Parta as folhas de gelatina ao meio e coloque 6 colheres de sopa de água. Deixe as folhas ensoparem durante cerca de 5 minutos. Em seguida leve ao microondas por poucos segundos (9-12 seg.) a uma temperatura baixa e mexa muito bem com a ajuda de uma colher. Volte a colocar no microondas e deixe por mais uns breves segundos. Se achar necessário junte mais um pouco de água, por forma a que as folhas de gelatina se dissolvam e obtenha um liquido viscoso.

4º Passo: Adicione aos poucos a mistura da gelatina às natas com a batedeira em funcionamento e misture tudo muito bem. Envolva as claras que reservou à mistura preparada em movimentos suaves de baixo para cima e com a ajuda de uma colher de metal. Coloque numa forma com fundo ou aro amovível de 23 cm. Espalhe a bolacha maria ralada por cima e leve ao frigorífico por um minímo de 4 horas.


Eu decorei com groselhas, pois acho que a combinação é perfeita, para além de que numa mesa de Natal ficar super bem.

Notas: Eu uso leite condensado que é super mega doce, por isso se metade de uma lata não fôr suficiente para os mais gulosos, aconselho a provarem a mistura e se acharam necessário adicionem mais leite condensado. Eu prefiro usar claras na preparação desta receita pois dá uma consistência mais espumosa. Se o tempo no microondas não fôr suficiente deixe por mais tempo, mas não se esqueça de vigiar atentamente.

Imprimir

25/09/2012

Piononos - Proposta doce da Whole Kitchen

Whole kitchen en su Propuesta Dulce para el mes de Septiembre nos invita a preparar un clásico español, "Piononos"
 
É a primeira vez que participo num desafio lançado pela Whole Kitchen e foi com muito agrado que fiz esta receita. Posso dizer que foi um verdadeira desafio, pois apesar de ir a Granada quase todos os anos ainda nunca me apercebi deste doce, não sabendo qual o seu aspecto e textura, o que tornou as coisas um pouco mais difíceis. Posso dizer que a primeira vez que tentei fazer a receita da massa do bolo esta não me correu nada bem, primeiro porque a receita que segui faltavam-lhe algumas instruções, e depois quis fazer as coisas à pressa. Mas no fim correu bem e todos cá em casa aprovaram.


Para quem quiser-se juntar a estes desafios só tem de se inscrever no site da Whole Kitchen e seguir todas as instruções que estão lá escritas, aviso desde já que vale a pena, pois para além de serem verdadeiros desafios, aprendemos novas técnicas e receitas. Se alguém tiver duvidas em relação à subscrição não hesite em contactar-me.
 
Para quem quiser reproduzir estes deliciosos piononos aconselho-os a lerem as notas abaixo deste post. Eu fiz uns com creme de ovos e outros com lemon curd, ambos excelente e muito saborosos, os de lemon curd ficam excelentes acompanhados com frutos silvestres.
 
Agora sobre a história dos piononos...São um doce tradicional Espanhol mais concretamente de Santa Fé, povoação situada cerca de Granada.
Segundo a lenda, o nome atribuído a esta sobremesa foi uma homenagem ao Papa Pio IX. No entanto, estudos recentes vieram provar que este doce foi elaborado depois do ano de 1897, ano em que se popularizou através de Ceferino Isla. É possível que este doce seja de origem Moura. No entanto, o nome pionono pode ter sido dado por Ceferino Isla, o qual admirava profundamente o Papa Pio IX, por este ter declarado o dogma da Imaculada Concepcion. Actualmente, os piononos produzidos pela casa Isla (descendentes de Ceferino), sao imensamente apreciados em Granada. Segundo, outras fontes estes foram elaborados pela primeira vez em Cádiz.
 
Esta sobremesa e composta por duas partes: uma lâmina muito fina de bolo enrolado em forma de cilindro, ensopado em xarope muito doce e de textura agradável e fresca com creme e decorado com creme tostado para representar a silhueta da cabeça do Papa Pio IX (daqui o nome de Pionono). Eu apenas decorei com merengue e coloquei por cima um pouco de creme de ovos ou lemon curd.
 

Ingredientes para a massa:
 
- 2 ovos L
- 1 colher de sopa cheia de farinha sem fermento
- 2 colheres de sopa cheias de açúcar branco
- 1 colher de sopa cheia de farinha de milho (maizena)
- 2 colheres e meia de sopa de leite
- 1 pitada de sal
- Manteiga derretida para barrar q.b. (eu utilizei cerca de 30 gr.)

Ingredientes para o xarope:

- 75 gr. de açúcar branco
- 75 gr. de àgua
- 1 pau de canela
- 1 colher de sopa de rum ou outro licor a seu gosto (opcional)

Ingredientes para o creme de ovos:
 
       - 4 gemas grandes
       - O peso das gemas dos ovos em açúcar
       - O peso das gemas dos ovos em àgua
 
Ingredientes para o lemon curd:
 
       - 2 ovos
       - 1 gema de ovo
       - 100 gr. de manteiga sem sal
       - 175 gr. de açúcar granulado fino
       - Sumo e raspas de 3 limões orgânicos
 
Ingredientes para o merengue:
 
      - 4 claras de ovos
      - 2 colheres de sopa rasas de açúcar branco
      - 1 pitada de crémor tártaro ou umas gotas de limão
      - 2 colheres de sopa rasas de açúcar em pó
 
Modo de preparação do Lemon Curd:
 
1º Passo:  Bata os ovos com a gema de ovo. Leve a manteiga a derreter numa panela de fundo grosso em lume muito baixo.
2º Passo: Quando a manteiga tiver derretido adicione o açúcar, raspas e sumo de limão e depois os ovos batidos.
3º Passo: Mexa cuidadosamente em lume bem baixo, com uma vara de arames até que a mistura comece a engrossar. Isto pode levar até 10 minutos. Se o lume estiver muito alto, a mistura dos ovos pode resultar em ovos mexidos.
 
Modo de preparação do creme de ovos:
 
1º Passo: Coloque ao lume o açúcar e a àgua, quando metade do volume total que colocou tenha evaporado retire a calda do lume e deixe arrefecer.
2º Passo: Bata as gemas com uma vara de arames e quando a calda tiver arrefecido junte um pouco da calda às gemas e misture muito bem.
3º Passo: Junte a mistura das gemas à restante calda e misture muito bem. Leve a mistura a lume baixo-médio, mexendo sempre. Continue a mexer até a mistura começar a espessar. Quando tiver espessado retire do lume e deixe arrefecer.
 
Modo de preparação do xarope:
 
1º Passo: Leve todos os ingredientes ao lume até ferver. Quando começar a ferver deixe-os por 5 minutos. Retire e reserve.
 
Modo de preparação do merengue:
 
1º Passo: Bater as claras até obter quase o ponto de Castelo. Adicionar aos poucos o açúcar branco sem nunca deixar de bater e o crémor tártaro ou gotas de limão. Quando a mistura estiver firme e brilhante adicione o açúcar em pó peneirado e misture com movimentos suaves.
 
Modo de preparação do bolo (da para cerca de 12 piononos):
 
1º Passo: Ligue o forno a 150°C (vai depender do seu tipo de forno). Forre um tabuleiro com cerca de 35cm x 40 cm com papel vegetal. Com a ajuda de um pincel pinte a folha de papel vegetal várias vezes (no mínimo 3) com a manteiga derretida.
 
2º Passo: Bata as claras com o sal até quase atingirem o ponto de Castelo. Adicione o açúcar aos poucos sem nunca deixar de bater entre adiçóes. Deverá ficar brilhante e firme. Reserve.
 
3º Passo: Peneire a farinha e maizena para uma taça. Adicione as gemas e misture tudo muito bem. Adicione o leite aos poucos (uma colher de sobremesa de cada vez) e misture muito bem para evitar grumos (vai sempre ficar com alguns). Deverá obter uma massa lisa e praticamente sem grumos.
 
4º Passo: Adicione uma colher de sopa das claras batidas à massa e misture tudo muito bem. Adicione esta mistura aos poucos as claras, integrando-a com movimentos suaves e sempre debaixo para cima com a ajuda de uma colher de metal.
 
5º Passo: Transfira a massa para o tabuleiro e espalhe a massa de forma a ficar com cerca de 3-4 mm de altura. Leve ao forno cerca de 5-7 minutos ou até o tom da cor mudar ligeiramente.
 
6º Passo: Retire do forno e vire a massa sobre outra folha de papel vegetal previamente pincelada com manteiga derretida. Deixe arrefecer um pouco e pincele com o xarope. Quando tiver arrefecido completamente cubra com uma capa bem fininha de lemon curd ou creme de ovos.
 
7º Passo: Corte em tiras de 3-4 cm de largura e enrole em espiral. Coloque os piononos verticalmente e deite mais um pouco de creme de ovos ou de merengue no topo. Leve ao forno para tostar a 150°C durante cerca de 1 minuto (ou até estar ligeiramente tostado em cima).
 
Sirva e delicie-se com estes piononos, que são trabalhosos mas uma verdadeira delícia.
 
Notas: Irá sobrar xarope, que poderá guardá-lo no frigorífico e utilizar noutras receitas. Use manteiga derretida para barrar, não barre com a manteiga sem esta estar derretida. Barre a massa com uma camada bem fininha de doces de ovos, se for muito grossa vai ser difícil enrolar e os piononos vão acabar por se desmanchar.
 
Fonte: A historia dos piononos foi retirada do Wikipedia. A receita dos piononos foi fornecida pela Whole Kitchen. A receita do lemon curd é do livro "Rachel's favorite food at home" da Rachel Allen.

Imprimir

20/09/2012

Bolachas salgadas de Alecrim e Presunto e uma visita a Ludlow


No dia 9 de Setembro rumei a mais um festival de comida e bebida, desta vez na linda cidade de Ludlow, o festival realizou-se no castelo desta cidade. Com a qual fiquei fascinada e que por certo irei visitar outras vezes. Apesar de ser um festival sobre o mesmo tema do que o relatado no post anterior, achei-os completamente diferentes.
 Neste vi imensos produtores locais, com produtos de que eu nunca tinha ouvido falar e com os quais fiquei fascinada. Só me apetecia comprar tudo para poder provar e testar em casa.

Já em termos de demonstrações foi diferente, este não tinha tantos Chef´s famosos e para se aceder a receitas ou apresentações dadas por estes era necessário pagar extra. O único Chefe conhecido que eu vi foi o Chefe Will Holland que já participou em vários programas culinários que passam nos canais ingleses. A receita com a qual ele participou nesta demonstração era bastante interessante, mas achei-o com pouca capacidade de atrair e cativar o público. Não sei se foi por ser das últimas apresentações e ser o último dia do festival ou se é mesmo a personalidade dele que é assim. O certo é que imensas pessoas se foram embora durante a sua apresentação e comparando a apresentação dele com as outras que eu assisti no outro festival, esta foi bastante medíocre para mim. No entanto, tal não significa que ele não seja um Chefe exceptional. Achei tão simpático o ar desta senhora que se encontra a preparar manteiga ao estilo vitoriano. Para além de que a manteiga era super deliciosa e o leitelho que sobrava da produção da manteiga uma verdadeira delícia.

Alguns dos produtos que me chamaram à atenção no festival e os quais trouxe para casa comigo para experimentar foram:
- Salsichas de cabra, produzidas em Cheshire por um casal adorável se estiverem interessados acessem o site deles. Lá também podem encontrar receitas com carne de cabra e não só. Posso dizer que fizemos as salsichas grelhadas e que ficaram divinais, nada gordurosas ao contrário do que eu pensava e com um sabor delicioso. Eles também tinham a versão sem glúten.
- Queijos de cabra, feitos com muita amor e carinho pela empresa Brock  Hall  Farm, comprei 2 tipos de queijo de cabra a esta senhora. Um deles foi o Pablo Cabrito e o outro Capra Noveua, este último o meu preferido o qual ganhou uma medalha de ouro em 2012.
Havia centenas de produtos diferentes e originais que eu queria ter trazido, mas isso só me dá razões para voltar lá para o ano.

 
E por causa destes queijos maravilhosos decidi fazer umas bolachinhas salgadas a sua altura, as quais são excelentes para acompanhar com queijos.
Ingredientes:
- 1 chávenas de farinhas sem fermento
- 1 pitada de açúcar
- 1 colher de sobremesa de fermento seco para pão
- 1 colher de sobremesa de sal grosso
- 1 pitada de pimenta preta moída na hora
- 2 fatias de presunto cortadas em 4 partes
- 1 colher de sopa de alecrim fresco ou seco
- 1 colher de café de bicarbonato de sódio
- 30 ml de azeite extra virgem (varia de acordo com o tamanho da chávena que utilizou)
- ½ Chávena de leite bem frio


Modo de Preparação (Bimby):

1º Passo: Misture a farinha, sal e fermento no copo da bimby e pulse 1 min. Vel. 3, para ajudar a peneirar os ingredientes. Junte o presuto e alecrim e pulse alguns segundos na Vel. 4-6 até o alecrim e o presunto estarem cortados finamente.
2º Passo: Dissolva o bicarbonato de sódio em 1 colher de sopa de leite. Adicione o restante leite e azeite e misture tudo muito bem.
3º Passo: Com a bimby em funcionamente na Vel. 3 adicione a mistura liquída anterior toda de uma só vez. Misture até a massa ficar com um aspecto granulado grosso.
4º Passo: Junte a massa que irá parecer que se vai desfazer em uma bola e envolva a bola em película aderente. Leve ao firgorífico durante 20-30 minutos.
5º Passo: Pré-aqueça o forno a 150°C. Estenda a massa com a ajuda de um rolo até ficar com ≈ 3 mm. Usando um cortador ou faca dê a forma que quiser às bolachas.
6º Passo: Disponha as bolachas num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve as bolachas ao forno durante 6-8 minutos, ou até se apresentarem douradas nos lados, passado este tempo dê uma volta às bolachas e deixe-as a cozer por mais 2-3 minutos.
7º Passo: Retire-as e coloque numa grelha para arrefecerem, se não forem consumidas no dia, podem ser armazenadas em frascos até 1 semana.


Nota: A chávena que utilizei tem a capacidade de 235 ml.
Fonte: Receita adaptada do blog Haniela’s Food & Photography.
Imprimir

14/09/2012

Panquecas de mirtilos e uma visita a Liverpool


No último fim de semana de Agosto rumei a Liverpool para o festival "Liverpool Food & Drink Festival" foi a primeira vez que fui a um festival deste gênero fora de Portugal. E posso dizer que adorei a experiência. Adorei ver os Baking Brothers ao vivo, assisti à primeira série do programa deles e posso dizer que é excelente, mas vê-los ao vivo foi bem melhor. Para além de serem super divertidos, são super talentosos e sabem animar e motivar o público que os estava a ver, sim porque muitas vezes os chefes/cozinheiros até podem ser muito bons, mas com audiência ao vivo se não souberem comunicar com o público rapidamente as pessoas aborrecem-se e desinteressam-se. No festival fizeram várias demonstrações, entre elas as de um crepe salgado com recheio de tomates e chouriço que hei-de tentar reproduzir cá em casa. Ainda nos revelaram que já estão a filmar a série 2 e que consiste em uma tour por Inglaterra numa mini van, a provarem e a reproduzirem as especialidades de cada região.


Para além disso tive a oportunidade de conhecer o Paul Hollywood que apresenta o programa “Great British Bake-Off” e que é o autor do livro “100 Great Breads”. Depois de o conhecer achei que o programa  não transmite nada a personalidade dele, achei-o super divertido com piadas hilariantes e super profissional.

Ainda conheci o Chefe Norman Musa o qual não conhecia e fiquei super fã, fui fazer uma aula com ele de cozinha da Malásia e adorei, adorei, adorei, para já não sou fã de comidas com picante mas ele é tão simpático e tem uma personalidade adorável, é dificil não simpatizar com ele, para além de demonstrar uma paixão e amor inesgotáveis pela sua culinária. Depois disto tudo até eu fiquei rendida. Os meus amigos chegaram a invadir a sala onde a aula estava a decorrer (com consentimento do Chefe) para virem provar o que eu estava a cozinhar, e até eles adoraram o chefe e as receitas que eu fiz, é uma pena eles não me terem tirado uma foto com ele, até porque ele revelou-me que tinha os mesmos óculos de vista que eu. Em breve irei tentar reproduzir o que lá cozinhei e vão ver que vale a pena fazer em casa.

 E agora a receitinha...

Ingredientes (para aproximadamente 12 panquecas):

- 2 ovos XL
- 250 ml de iogurte grego natural
-  3 colheres de sopa de manteiga sem sal, mais extra para barrar a frigideira
- 3 a 4 colheres de sopa de leite gordo
- 1 colher de sobremesa das raspas de limão
- 1 colher de sobremesa de extracto de baunilha
- 80 gr. de farinha sem fermento
- 80 gr. de farinha integral
- 2 colheres de sopa de açúcar
- 1 colher de sobremesa de sal fino
- 1 colher de sopa e meia de fermento para bolos
- 175 gr. de mirtilos


Modo de preparação tradicional:

1º Passo: Leve 1 colher e meia de sopa da manteiga ao microondas quando estiver derretida retire e acrescente a outra colher e meia de manteiga e mexa até tudo estar dissolvido, deixe repousar enquanto prepara o resto.

2º Passo: Misture os ovos com o iogurte, adicione o leite e mexa. Junte a manteiga, limão e baunilha e misture tudo a ajuda de uma vara de arames.

3º Passo: Em outra taça misture todos os ingredientes secos, as farinhas, fermento, sal e açúcar. Junte os ingredientes secos aos outros com ajuda de uma colher de pau. Não misture demasiado se tiver alguns grumos não faz mal.

 4º Passo: Leve uma panela de fundo grosso ao lume, adicione manteiga até toda a frigideira ficar coberta. Coloque 3 colheres de sopa da massa para cada panqueca e deixe cerca de 3 cm de distância entre elas. Coloque alguns mirtilos no topo da massa, se achar necessário pressione os mirtilos na massa.

 5º Passo: Deixe alourar as panquecas por cerca de 3-4 minutos, quando estiverem douradas em baixo vire-as e deixe alourar por mais 3 minutos. Se achar que o processo está a decorrer demasiado rápido baixe o lume, por forma a que as panquecas fiquem passadas no meio. Transfira as panquecas para um prato e cubra com papel de alumínio.


Eu adoro comer as minhas com maple syrup ou golden syrup, uma verdadeira delícia. Experimentem e venham contar como foi.

Adorei a visita a Liverpool, mas achei que o festival consistia muito na promoção de alguns restaurantes daquela zona, e tinha poucas barracas com produtos locais ou a promoverem produtos diferentes. O melhor foi mesmo ver os profissionais em acção assim tão perto. De todas as formas foi uma experiência bastante enriquecedora e que voltaria a repetir sem hesitar.

Notas: Segundo a fonte se usar um iogurte magro deverá omitir o leite.

Fonte: Receita adaptada do site Smitten Kitchen.
Imprimir